quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

BOAS FÉRIAS!

BOAS FÉRIAS....Com muita brincadeira e BOAS LEITURAS!


Beijinho para todas com votos de Feliz Natal extensivo às famílias!
Conceição Coelho - Dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

FELIZ NATAL DESEJA O 3º D!

Com a ajuda da Mãe Eugénia construimos uma "Renolandia" na sala de aula e desejamos a todos,

FELIZ NATAL!






Com os Magalhães partilhámos as nossas tradições e fomos descoberta do NataL no mundo!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

TRADIÇÃO DO MADEIRO DO NATAL


Em muitas aldeias do norte de Portugal, uma boa parte da noite da Consoada se passa à volta de um tronco grosso de pinheiro ou castanheiro, de sobreiro ou azinheira ardendo em brasa.
Há aldeias onde o tronco começa a arder na véspera do dia de Natal e só acaba de arder no Dia de Reis!
É Inverno e o calorzinho bom do fogo aquece as pessoas e dá-lhes uma alegria especial: as conversas e as risadas fazem com que todos se sintam mais irmãos, mais amigos uns dos outros. E essa é a intenção desta festa tradicional.
É realmente uma verdadeira festa. Os rapazes e as raparigas enfeitam os carros de bois, ou (mais recentemente) os tractores com grandes fitas de muitas cores, e lá vão à procura dos troncos mais próprios para a fogueira. No meio da maior algazarra, transportam os troncos até ao adro da Igreja e pegam-lhes fogo. Quando as pessoas saem da Missa do Galo, reúnem-se à volta desta grande lareira ao ar livre, e é um nunca mais acabar de histórias e cantigas, pela noite fora.
Todos os anos se acendem os madeiros e se acende a alegria do tempo do Natal.
"O LIVRO DO NATAL" de Maria Alberta Menéres


Imagem copiada da net

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

HISTÓRIA DO NATAL DIGITAL



Mutito engraçado este vídeo... Adorei!!!
beijinhos

domingo, 5 de dezembro de 2010

Viena - EDUCULT - Novembro 2010

Neste Encontro, o principal do tema de debate foi a aprendizagem da língua materna do país de origem, por filhos de imigrantes. Ao vivo, pudemos observar o dia a dia de uma escola criada por uma Associação de Imigrantes Húngaros, cujo principal objectivo é, não só ensinar a língua mãe, mas também manter vivas as tradições sociais e culturais do país de origem. As crianças Húngaras, filhas de imigrantes que habitam em Vienna, podem após as aulas normais em escolas Austríacas, frequentar dos 6 ao 18 anos, esta escola cujos professores são maioritariamente familiares (filhos, pais, parentes...) de húngaros imigrantes na Austria.


.



Fotos: Nelson Oliveira