terça-feira, 22 de junho de 2010

JOSÉ SARAMAGO....



"Dentro de nós há uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos."
SARAMAGO, José. Ensaio sobre a cegueira. São Paulo: Cia das Letras, 1995. p. 262.

A 16 de Novembro de 1922 nascia José Saramago, em Azinhaga do Ribatejo. De seu nome José de Sousa ganhou como apelido a alcunha da família. Em 1995 foi-lhe atribuído o Prémio Camões, e em 1998 o maior de todos: o Prémio Nobel de Literatura.

Faleceu a 18 de Junho de 2010. A sua obra permanece.

sábado, 19 de junho de 2010

Recordando os nossos Projectos...




Alguns dos Projectos que desenvolvemos neste ano lectivo – 2º D

Projecto Comenius EDUCULT
Este projecto envolve escolas de 5 países: Portugal, Áustria, Polónia, Hungria e Turquia.
Estudámos os diferentes países, conhecemos as suas culturas e descobrimos o que é que temos em comum e o que é diferente. Em Março alunos e professores daquelas escolas estiveram na nossa e com eles aprendemos mais sobre isto e divertimo-nos. Ao longo deste ano ainda realizamos outras actividades com : escrever no Blogue do Projecto EDUCULT e no da nossa turma Tecletras e Saberes, enviámos e recebemos mailes, fizemos visitas de estudo a locais históricos e culturais da nossa região e do nosso país, estudámos tradições e para o ano vamos continuar.
Guilherme, Diogo, Bruno


Projecto Nós com África
Este projecto é um intercâmbio entre a nossa escola e uma escola de Maputo, Moçambique. Procuramos saber se são iguais ou diferentes os nossos modos de vida. Através deste projecto conseguimos descobrir muitas coisas sobre Moçambique. Por exemplo: onde se situa, a sua história, os instrumentos, máscara e danças tradicionais entre outras coisas. Aprendemos e dançámos uma canção tradicional africana, lemos contos tradicionais e poemas de autores Moçambicanos. Partilhamos o que aprendemos com o 6º B da Escola José Saraiva. Eles trabalharam sobre a Guiné e fizeram um livro.
Nós oferecemos-lhe a canção, um conto e poemas Moçambicanos.
António, Maria, Vítor, M João

Projecto Trad’Inovações
Pesquisámos na NET e nos livros, trocámos e-mails, aprendemos as tradições do nosso país e outras de outras regiões Portuguesas e Países estrangeiros. Na ESECS os nossos amigos crescidos do TecLAR, fizeram grupos de trabalho (Gastronomia da Região de Leiria; Música, Canto e Trajes Regionais; Festas e Romarias; Lendas de Leiria; Medicina e Curas Populares) e ajudaram-nos a aprender mais sobre os temas escolhidos.
Diogo André, Zé Pedro, Ana, Carolina

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Último dia de aulas...

Na quarta-feira dia 16 de Junho foi o nosso último dia de aulas na Escola da Cruz da Areia.Este dia foi muito especial para nós, professoras estagiárias. Os meninos do 2.º D depois do intervalo fizeram connosco, com a professora Conceição e alguns pais uma grande festa. Esta foi muito simples e muito bonita. Os meninos disseram-nos o que pensavam do percurso que fizemos ao longo deste ano lectivo, mostrando sinceramente o que pensaram do nosso percurso. Numa surpresa, ofereceram-nos presentes lindos: um livro sobre cada uma de nós e um postal assinado por todos. Também os pais, com muita simpatia nos ofereceram presentes, bem como a professora Conceição que nos acolheu na sua turma.No final, foi a nossa vez de tentar mostrar a gratidão por todos os que nos acompanharam este ano, deixando com os meninos a sua obra de cadavre exquis para que nunca se esqueçam que existe um artista dentro deles. Para que nunca se esqueçam também que no reino da fantasia tudo é possível, ficou para cada um deles, uma história de Príncipes e Princesas. =)Gostámos muito de poder conhecer e trabalhar com estes nossos Príncipes e Princesas.
Um grande beijinho, com muito amor das vossas aias.
video

Notícias...

Olá amiguinhos da Cruz da Areia:

Não sei se amanhã terão ocasião de ler esta minha mensagem...

Só ontem abri o meu e.mail com a notícia da Joana de que vos foi visitar e que nos mandaram muitos beijinhos.

Pensei ir aí um dia com a Graciete e tanto ela como eu andamos tão ocupadas, que o tempo foi passando e nem pensámos que estava já no final de mais um Ano Escolar.

Nem parece que estamos reformadas. Sempre a fazer coisas em "prol dos outros" mas a aprender também, é claro.

Uma novidade:
Ando também na Tuna do 6O+ e ando a aprender "cavaquinho"... (para animar as festas).
Já sabem que gosto de cantar e de me divertir, não é?

Muito beijinhos e Boas Férias para todos, não esquecendo os meus queridos:
João Miguel, Maria João e Ana Carolina.

Elisa Pinto

quarta-feira, 16 de junho de 2010

VISITAS...




Ontem recebemos na sala um grupo de meninos do Jardim de Infância Fraldinhas. Tinham 5 anos e em Setembro vão para o 1º ano. Conversámos com eles sobre como é bom aprender na sala de aula e outras coisas. Mostramos-lhes a nossa escola e eles gostaram.
Desejamos-lhes boa sorte e dissemos-lhes se eles quisessem ajuda, nos podiam pedir.

Grupo 3

VOTOS DE BOAS FÉRIAS DOS AMIGOS CRESCIDOS

Eis o que a amiga Maria da Cruz publicou no blogue do TECLAR:



Mais um ANO LECTIVO a findar e os meus amiguinhos a subirem mais um dergrau nas vossas encantadoras vidas!
Quando vos conhecia, eram todos tão pequeninos, tão amorosos, tão queridos... e frequentavam o 1º Ano, mas hoje podem dizer que já estão uns SENHORES, pois em Setembro irão frequentar o 3º ANO!!!
Pela mensagem da nossa querida Professora Joana, fiquei a saber que tinham "matado" algumas saudades e que enviaram muitos beijinhos e recadinhos muito queridos, para todos os crescidos.
Fiquei satisfeita por saber notícias vossas, de tudo o que têm feito e aprendido nas aulas, das saídas, dos contactos com os vossos colegas de outras escolas, enfim... de todo o óptimo trabalho realizado com a vossa professora.
Como todos sabem, nós já não somos alunos da Professora Joana, pois este ano tivemos outra professora, a Professora Carina, que também nos deixou para receber a sua querida filhinha, sendo substituída pelo Professor Nelson.
Além de tudo o que a Professora Joana nos ensinou, este ano, aprendemos coisas novas e recordámos outras.
No próximo ano, se DEUS quiser, continuaremos com as nossas aulas para aprendermos ainda mais .
Tenho imensa pena de não poder ir pessoalmente dar um beijinho a cada um de vós e Professora SÃO, mas esta semana está muito cheia para mim.
Amnahã, de manhã, vou com os colegas da ESECS ao moinho de papel fazer pão e à tarde, ás 15h festa de encerramneto da ACADEMIA, no Mercado de Santana e onde vou dançar!
Nos dias seguintes preparar as malas para ir de férias até ALBUFEIRA, onde permanecerei 10 dias.
Desejo umas boas férias a todos os meus queridos amiguinhos.
Descansem, brinquem, mas não se esqueçam dos livros...Pois as férias são enormes!!!
Um grande beijinho e um Xi coração para todos e Professora SÃO.
Maria da Cruz



Obrigada Maria da Cruz por se lembrar de nós.
BOAS FÉRIAS PARA TODOS OS AMIGOS CRESCIDOS
2º D

terça-feira, 15 de junho de 2010

Imaginação à solta no 2º D

Na sala e na Biblioteca trabalhámos um conto da Sophia de Mello Breyner chamado “Árvore”.
Imaginamos que éramos nós que tínhamos que cortar uma árvore. O que faríamos com ela?

O António escreveu:

O que eu fazia com a árvore cortada

Eu chamava os meus amigos e fazia um carro de rolamentos. O carro era de madeira forte e dura.
Era o número um e a tinta era: vermelha, cor-de-laranja, verde, cinzenta e azul.
O volante era dourado, castanho e preto.
O carro de rolamentos era só para duas pessoas. Tinha ventoinha e asas para voar.
O carro corria tão rápido que quando dava curvas fazia pó. A cadeira dava muita sombra porque estava coberta de folhas.
Eu gostava da brisa das folhas quando estava sentado no carro!


A Maria Soledade

Eu faria com a árvore uma casa na árvore muito divertida, um escorrega feito de madeira, tabuleiros e ganchos.
Com a seiva da árvore fazia verniz, um colar e pulseiras feitas de folha de árvore, muitos álbuns com fotografias, um arco e uma flecha. Também fazia uma caixa de madeira para guardar as jóias feitas de folhas, um lápis para a escola, barcos para navegar no mar. Depois das aulas e depois de fazer os trabalhos de casa na casa da árvore, ia lanchar com os meus talheres de madeira. Enquanto a mobília chegava, ia às compras com a minha mãe e o meu pai, e claro, o meu irmãozinho. Mal chegava ia logo para a cama porque amanhã seria outro dia divertido.


O Diogo André

A árvore
Após a árvore ser cortada, eu imagino que fazia uma casa de madeira, mesas, tabuleiros, varandas, colheres e copos. A casa de madeira azul, verde, amarelo e laranja. Um dia construía um barco muito bonito: era azul, rosa e roxo. As pessoas gostavam muito do barco, só vermelho! E ainda estátuas de Reis e Rainhas, e obras de arte. Fazia uma “biva” e uma canção que era assim “A árvore era bela, o tronco era grosso. A nossa árvore era tão bonita, com folhas tão verdinhas como ervas do campo.” E assim, lembravam-se sempre da árvore mais bela que eu conheci…


João Henriques
A minha árvore
Eu fazia com a minha árvore pessoas para brincar à bola, fazia camisolas às cores, números, letras, cores e desenhos para pintar com canetas. Adorava a árvore, ela fazia tudo. Eu pedia à árvore para fazer quarenta carros da “Hot wheels”, todas as bandeiras dos países e proteger o planeta.
Num dia, eu trazia-a para a escola e todos adoraram a minha árvore e queriam brincar com ela. Eu dizia que sim. Então brincávamos, brincávamos, brincávamos tanto que até caíamos todos e depois, tocava e ficávamos lá dentro a trabalhar. A árvore estava a ensinar-me. Quando acabava a escola, a árvore ficava com frio. Era a neve. Chegávamos a casa, a minha mãe fazia uma fogueira, o meu pai montava a tenda em casa, eu ficava no sofá a ver televisão e a árvore, como andava e cabia no tecto, entrava em minha casa e encostava-se a mim. Era Natal. Dormíamos, acordávamos e havia muitos presentes.

OPINIÕES SOBRE...

Nós com África - Actividade na José Saraiva


Eu gostei de estar na escola José Saraiva, mas acho que o texto que eu li com o João Miguel e o Guilherme não correu muito bem porque nós gaguejámos muito. Lemos um poema e depois no final dançámos uma música e cantámos a música chamada “Kokoleoko”. Eu gostei muito de ir lá. Quando chegámos fomos logo lanchar porque estávamos cheios de fome.
Gostei muito de lá ir! Gostei de fazer um desenho lá e de conhecer antigos alunos da professora São.
Maria Soledade

Eu gostei de estar na Escola José Saraiva. O que eu gostei mais foi de cantar a música e dançar. O Diogo leu um poema. Eu, a Maria Soledade e o João Miguel lemos um conto chamado “O Lebrão, o Elefante e a Pantera”. Os meninos do 6.º B fizeram um teatro de fantoches para nós.
Guilherme


Eu gostei do teatro de fantoches, do poema do “Menino do contra” e do texto dos “Meninos de todas as cores” que os meninos do 6.º B apresentaram.
Eu gostei também de pintar com canetas e lápis de cor um desenho feito por todos. A nossa turma toda escolheu os “Meninos de todas as cores” para pintar.
Diogo André


O que eu gostei mais foi de ver o espectáculo de fantoches, de ler um conto que se chamava “O Lebrão, o Elefante e a Pantera” e de fazer a dança e cantar uma música que se chamava “Kokoleoko”.
Gostei também de fazer um desenho sobre um texto que se chama “Meninos de todas as cores”.
João Miguel


Na escola José Saraiva divertimo-nos muito! Vimos um teatro de fantoches, cantámos uma canção africana. Os meninos do 6.º B apresentaram um poema: “Menino do contra”. O Diogo Silva leu um poema, a Maria Soledade leu um conto: ela própria fazia de Siá, o João fazia de narrador e o Guilherme fazia de outros animais como o lebrão, o elefante…
José Pedro


Eu gostei que os meninos grandes do 6.º B fizessem um teatro. Eu gostei muito do 6.º B.
Maria João


Eu gostei de ouvir os meninos a apresentarem o teatro e a lerem o poema. Eu gostei de dançar para os alunos do 6.º B.
Alexandra


Nós fomos à Escola José Saraiva e divertimo-nos muito. O que eu mais gostei foi de ouvir os meninos a falarem sobre o teatro e também gostei muito de ver o teatro. Eu lá vi o César e o Daniel que são vizinhos da minha avó materna que tem duas cadelas.
Rafael


Na escola José Saraiva, os meninos do 2.º D e do 6.º B apresentaram trabalhos sobre África.
Victor


Na visita à escola José Saraiva, acho que nós nos portamos mal.
Eu não gostei de vir embora.
Na visita, eu dancei e também cantei uma música chamada “Kokoleoko”.
Eu gostei muito da visita porque houve uma actividade que eu gostei muito: desenhei no papel grande para colocar na parede.
Ana Carolina

Eu gostei de ir à escola José Saraiva. Eu gostei de ler um poema. Também gostei de dançar uma música tradicional africana. O que eu gostei mais foi de ver o teatro do 6.º B. E o que eu gostei menos foi que uns meninos lá de trás gozassem connosco. Também gostei muito de no fim, desenharmos o poema “Meninos de todas as cores” de Luísa Ducla Soares.
Diogo Silva

Eu adorei os fantoches e o texto dos “Meninos de todas as cores”.
Eu aprendi melhor a canção “Kokoleoko”.
Eu não gostei das redes para dançar, faziam comichão!
João Henrique

A CASA MISTÉRIO!!!


Esta é a casa com o Painel de Azulejo com o jacarandá em frente, e que eu penso que todos conhecemos muito bem uma das pessoas que lá habita!!!
A pergunta fica no ar:
"QUEM SERÁ ESSA PESSOA?"- Sabem? Pensem bem! E depois digam.

PAINEL QUE EU FOTOGRAFEI

Este maravilhoso painel de azulejo, fui encontrá-la numa casa a caminho dos Marrazes.
O painel representa o Mercado Antigo, na Praça Rodrigues Lobo.

domingo, 13 de junho de 2010

O Projecto "Nós com África"

No início do ano escrevemos para uma escola de Maputo, Moçambique para aprendermos mais sobre aquele País e África. Aquela escola foi criada ao abrigo do Acordo de Cooperação celebrado entre a República Portuguesa e a República de Moçambique em 1999, chama-se a Escola Portuguesa de Moçambique e lá estudam alunos Portugueses e Angolanos.
Fomos então à procura de algumas das raízes e tradições de Moçambique e da Comunidade Portuguesa em Moçambique.
Descobrimos que o País actualmente se chama:
República de Moçambique, a Capital é Maputo. 25 Junho de 1975 foi a data em que ficaram Independentes de Portugal
A seguir escrevemos mailes, cartas, escrevemos no Blogue, pedimos ajuda aos nossos amigos do Tradinovações e pesquisámos nos livros e na Net sobre:

1. Onde se situa Moçambique

2. A história de Moçambique (no passado e no presente)

3. A comunidade Portuguesa em Moçambique

4. Instrumentos e Danças Tradicionais Moçambicanas

5 Histórias Tradicionais e Poemas

6 Gastronomia

7 Fauna e Flora
Também fizemos instrumentos musicais, participámos na Campanha de Solidariedade feita no Natal na Escola José Saraiva, fomos ver um livro e um Teatro de Fantoches feitos pelos meninos do 6º B.

Outras coisas que aprendemos:

Aprendemos que Moçambique se situa na costa oriental da África Austral e banhado pelo oceano Índico. ..."Tem belas praias de areias brancas, com dunas a perder de vista, lagoas e grande variedade de flora e fauna e uma diversidade cultural que se espelha na beleza dos usos e costumes dos seus povos.

Os primeiros habitantes de Moçambique eram caçadores e colectores, ancestrais de povos Khoisani. .

Os Portugueses chegaram à costa oriental de África no início do século 16, desalojando governantes Árabes de muitas das vilas. Em 1914 os Portugueses conseguiram a “ocupação efectiva” . A capital era Lourenço Marques e Salazar em Portugal (1932-1968) estava determinado a continuar nas colónias do País. A Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) formada em 1962, dirigiu a luta pela independência. Seguido ao golpe militar em Portugal em 1974, foi estabelecido um Governo de Transição Portugueses/Frelimo, e em 1975 o País tornou-se independente tendo a Frelimo assumido o poder, e seu lider, Samora Machel, tornou-se o primeiro presidente. "

A Comunidade Portuguesa em Moçambique

A Comunidade Portuguesa em Moçambique é constituída por mais de 11 mil pessoas, encontrando-se fixada sobretudo nas Províncias de Maputo, Inhambane, Zambézia e Gaza.
A maioria da Comunidade Portuguesa residente em Moçambique é originária do país (cerca de 6 mil), seguindo-se os naturais de Portugal (3.845) e da Índia (547), constituindo, pois, os luso-descendentes uma parte significativa dos nacionais aí residentes. Têm contribuído para a criação de postos de trabalho sobretudo nas áreas do comércio, transportes rodoviários, hotelaria, restauração, pescas e actividades ligadas à agricultura.

Aprendemos também que:

São os instrumentistas tradicionais que na maioria dos casos constroem os seus próprios instrumentos ou os adquirem como herança dos seus antepassados...
Nomes de alguns Instrumentos:
Tábuas; canacári; maguita; violino unicórn, vilanculo; ribaué
Tocador de viola ;tambores de tufo; viola tradicional.
Também vimos como cantam e dançam em Moçambique e lemos poemas e contos tradicionais.
Na sala ensaiámos uma dança e uma canção Africanas que se chamava:KOKOLEOCO.
Descobrimos que os meninos Moçambicanos gostam de brincadeiras e histórias como nós, mas comem coisas diferentes.
Na 6ª Feira, dia 11 de Junho fomos cconvidados pela Turma do 6º B da Escola José Saraiva que também participa no Projecto com uma escola da Guiné, para lá irmos ver um espectáculo de fantoches (A Maria Castanha) e poemas. Foi muito giro.
Nós dançámos e cantámos KOKOLEOCO, o Diogo Silva leu um poema chamado Mãe Negra e a Maria Soledade, o Zé Pedro e o João Meneses leram um conto tradicional Moçambicano.
As fotos são desse dia.

sábado, 12 de junho de 2010

13 de JUNHO DIA DE SANTO ANTÓNIO

Como depois de amanhã é dia de SANTO ANTÓNIO, lembrei-me de publicar esta pequenina mensagem sobre este SANTO que eu adoro.
Santo António era filho de Martim de Bulhão e de Teresa Taveiro. No baptismo recebeu o nome de Fernando de Bulhões.
Era conhecido por Santo António de Pádua por ter pregado e vivido nesta cidade Italiana.
Como podem ver, Santo António segura na mão esquerda um Livro e em cima dele está colocado o Menino Jesus e este da foto é meu.
Santo António é o Padroeiro de Lisboa e é festejado todos os anos no dia 13 de Junho com festas em sua honra, nos vários Bairros da capital com bela sardinha assada, broa,várias bebidas e muita música estando tudo enfeitado com balões, arcos e bandeiras coloridas.
Para todos um bom dia de SANTO ANTÓNIO.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Visita ao Moinho de Papel - Leiria




Fotos do António e da Ana Sofia




Visita de estudo ao Moinho de Papel

No dia 23 de Março fomos visitar o Moinho de Papel, em Leiria. Este museu situa-se na antiga Rua da Fábrica, junto à margem do Rio Lis. Do interior do edifício conseguimos observar o rio Lis e os patinhos a nadarem.
O Moinho do Papel foi recuperado e agora é um espaço museológico com uma forte componente pedagógica, ligado à aprendizagem de artes e ofícios tradicionais relacionados com o papel e o cereal.
Neste dia encontrámos pessoas amigas como o senhor Manuel que nos mostrou como se faz farinha de trigo e de milho e ainda aprendemos a fazer folhas de papel reciclado com as senhoras que nos mostraram o moinho.
Ainda apareceram as nossas amigas Maria da Cruz e Helena que nos fizeram a surpresa agradável ao acompanharem-nos nesta visita tão interessante.
Foi um dia muito giro pois divertimo-nos e aprendemos mais sobre o nosso Património histórico e cultural.
O António e a Sofia tiraram fotografias.

sábado, 5 de junho de 2010

JACARANDÁS EM LEIRIA

JACARANDÁS EM LEIRIA on PhotoPeach



Não sei se os meus amiguinhos conhecem estas maravilhosas árvores que se ncontram bem bonitas, neste momento na nossa cidade de LEIRIA.
Se já viram, é para recordarem, e se não viram podem pedir aos pais para passarem junto à SÉ e na Rua João de Deus, para apreciarem esta verdadeira "OBRA PRIMA" com que a Natureza nos "brindou"!
Um grande beijinho da vossa amiga

Maria da Cruz

sexta-feira, 4 de junho de 2010

O dia 1 de Junho no Agromuseu da Ortigosa - Relatos na 1ª pessoa:







O que os meninos escreveram sobre a visita ao

Agromuseu Municipal Dona Julinha


Nesta visita de estudo aprendi muitas coisas, como por exemplo: mais jogos tradicionais, novas peças de teatro, etc.
O que mais gostei foi de ver os tipos de ferraduras dos bois e dos cavalos.
O que menos gostei de ver foi a galinha sem penas no rabo.
António



Nesta visita de estudo aprendi que não devo mexer nas peças antigas porque depois elas estragam-se e os outros visitantes do museu depois não podem vê-las.
O que maus gostei foi de ver os animais, de brincar e de participar nos jogos tradicionais.
Eu não gostei de vir embora.

Alexandra


Nesta visita de estudo aprendi a perder.
O que mais gostei foi de ver os coelhos, o peru e a galinha.
O que menos gostei foi de andar de autocarro porque fico enjoada.

Ana Carolina


Nesta visita de estudo eu aprendi mais sobre os porcos eque havia um cavalo chamado “Joãozinho” que já morreu
O que mais gostei foi de ver os coelhos.

Ana Sofia

Nesta visita de estudo aprendi a perder justamente.
O que mais gostei foi de participar nos jogos e de brincar.
O que menos gostei foi de não fazer o barro.

Bruno


Nesta Visita aprendi: a fazer barro, como se vivia antigamente em casa e na quinta.
O que mais gostei foi: de ver as coisas antigas do cavalo como a cela e ferradoras e de conversar com o peru e de ver duas cozinhas antigas.
O que menos gostei: de me vir embora.

Diogo André


Nesta visita de estudo aprendi a fazer barro.
O que mais gostei foi de ver o cão e o coelho.
O que menos gostei foi de andar a pé

Diogo Costa


Nesta visita de estudo aprendi a falar com o peru, o que é um dedoche, onde se põe o porco e onde é a Ortigosa.
O que mais gostei foi de brincar com o João Miguel, o José Pedro, o Guilherme, etc. Também gostei muito de ver o teatrinho de fantoches e dedoches.

Diogo Silva


Nesta visita de estudo aprendi a fazer barro e que a fazer batota ninguém vence.
O que mais gostei foi de ver os animais e de brincar.
O que menos gostei foi de estar muito sol.
Guilherme


João Miguel Meneses: fez no computador mas esqueceu-se de guardar.

Nesta visita de estudo aprendi que os batoteiros nunca vencem.
O que menos gostei foi de brincar, de ver os animais e também de ver os meninos a jogar.
O que menos gostei foi de andar e de virmo-nos embora.

José Pedro

Nesta visita de estudo aprendi a fazer barro com uma senhora.
O que mais gostei foi de ver os animais, ver os jogos e especialmente a caça ao tesouro.
O que menos gostei foi de andar a pé.

Maria Soledade

Nesta visita de estudo aprendi a fazer barro.
O que mais gostei foi de ver o cão na casota e de brincar.

Maria João


Nesta visita de estudo aprendi que havia um sótão para pôr as batatas.
O que mais gostei foi de brincar.
O que menos gostei foi de me vir embora.
Maria Guarda

Nesta visita eu aprendi a jogar o jogo da corda.
O que mais gostei foi de ver os animais.

O que menos gostei foi de andar a pé.
Rafael

Nesta visita de estudo aprendi como eram as patas dos cavalos.
O que mais gostei foi de pintar a cara.
O que menos gostei foi de vir embora.
Victor
Nesta visita de estudo aprendi que as senhoras transportavam a cantarinha que já era muito pesada sem nada e com a água era ainda mais pesada. Aprendi que as senhoras até faziam concursos à vinda da fonte com a cantarinha na cabeça.
O que gostei mais foi de ganhar a prova da batata com a colher na boca e da professora São a dizer piadas do peru.
O que menos gostei foi do sol.
João Henrique